Ainda dá tempo: inscreva-se no InovAtiva Brasil para acelerar sua startup

Empreendedores têm uma oportunidade (gratuita!) de capacitação e mentoria em programa que liga ideias e negócios a investidores e mercado

Você, empreendedor, que busca apoio e crescimento para sua empresa, ainda pode contar com o programa realizado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) em conjunto com o Sebrae. Trata-se de um programa de aceleração para negócios inovadores de alcance nacional que será executado pela Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI), com inscrições abertas até 20 de fevereiro.

Por que participar?

O programa atenderá projetos de qualquer setor da economia por meio de capacitação especializada, mentoria exclusiva de executivos e empreendedores de primeira linha, com acesso direto a investidores para os finalistas, que ainda terão pontuações adicionais para editais de Inovação do Sebrae e do Sistema Sesi/ Senai, que juntos injetam centenas de milhares de Reais em projetos e pesquisas aprovados.

O conteúdo do programa fica disponível a todos; já a participação nos ciclos de capacitação será direcionada apenas aos projetos aprovados. Inicialmente, a primeira fase comportará 300 vagas, e a segunda vai capacitar até 125 finalistas. O programa InovAtiva Brasil ainda continuará a apoiar estes finalistas até mesmo após a conclusão dos ciclos.

Minha startup pode participar?

Se seu negócio é inovador, mas ainda está sendo desenvolvido, estará elegível para o programa. No caso de estar já estabelecida como startup, também poderá participar, com dois limitadores para a inscrição: não ter superado anualmente faturamento de R$ 3,6 milhões e investimento maior que R$ 500 mil de terceiros. Há ainda o veto para quem já tenha participado do segundo ciclo de edições anteriores do programa de aceleração.

Que outros benefícios o programa InovAtiva oferece?

Além da capacitação por profissionais experientes que abordam definição de estratégias, modelos negócios e visão de mercado, o programa ainda ajuda na formação de networking. O empreendedor finalista poderá contar ainda com abertura para o mercado. Veja:

Do Brasil para o mundo

Pensando na internacionalização, o programa ainda estabelece parceria com o governo britânico, onde sustenta um histórico recente de 14 startups selecionadas na edição anterior para investimentos naquele mercado. O MDIC ainda trabalha para firmar parcerias similares objetivando o mercado global.

Linha de crédito

O MDIC firmou com o BNDES outra parceria favorável aos finalistas do InovAtiva Brasil. Para atender ao programa, o banco financia os empreendedores inovadores com linhas de crédito a juros reduzidos.

Vantagens com empresas

  • Facebook: 28 destaques entre os dois ciclos participarão do programa de desenvolvedores Accelerate Track FbStart, além de créditos de anúncios e acesso a ferramentas de parceiros da empresa;
  • Contentolls: descontos para os participantes que utilizarem os produtos e serviços da plataforma de gestão de marketing e criação de conteúdos;
  • Exact Sales: desconto para produtos e serviços de fluxo de vendas, podendo chegar à gratuidade.

O programa de aceleração InovAtiva Brasil é um investimento promovido por entidades sérias. Trata-se de uma excelente oportunidade sem custos para o empreendedor inovar e crescer com sua startup.

Bistrô saudável e açougue vegano? Histórias de sucesso de empreendimentos que deram certo!

Em meio a um mundo repleto de alimentação prejudicial à saúde, boas ideias e um pouco de criatividade fazem toda a diferença. Comer um lanche calórico de vez em quando pode ser muito bom, porém para o dia-a-dia, a melhor opção para o cardápio é uma boa alimentação balanceada, rica com os nutrientes que o corpo precisa e com imensa variedade de frutas e legumes. Pois é, em casa fica até fácil preparar esse tipo de alimento, mas e quando se está na rua? Para quem trabalha fora, é difícil encontrar um bom prato de alimento com todas as opções saudáveis que o corpo precisa para se alimentar bem. É nessa hora que entra a criatividade da empresária Jeane Moura. A moça enfrentou problemas similares ao descrito acima em 2007, quando trabalhava em uma loja de roupas em um Shopping na região Sergipana. Ela mesma conta que, diariamente tinha de levar a comida de casa, pela falta de opção de um alimento saudável na rua.

“Sentia falta de comida saudável em shopping. Levava marmita, fazia sucos e percebi que faltava isso”, diz a empresária.

Foi aí que surgiu a ideia de inovar no cardápio. Jeane montou um empreendimento que servia comida saudável como grelhados, sucos de laranja e lanches naturais. O brilhantismo da simplicidade acertou em cheio o público alvo de Jeane. Embora de começo o empreendimento foi inaugurado na praça de alimentação do Shopping, o DNA Natural não demorou muito para fazer sucesso e render muitos clientes. Depois de um tempo de aceitação, Jeane abriu novas unidades, e o resultado foi estrondoso: 50 unidades abertas com perspectiva de investimento no exterior e faturamento de R$20 milhões em 2016. A ideia de um bistrô saudável ganhou cada vez mais adeptos e continua marca registrada do DNA Saudável.

Outro empreendimento que surpreendeu pela ideia inusitada, foi o açougue vegano do casal paulista Brunno Barbosa e Marcella Izzo. Marcela já era adepta da culinária vegana a algum tempo e sua paixão por cozinhar a levou a se inspirar no seu cardápio, criando por exemplo, hambúrgueres gourmet e salgados preparados com substitutos da carne. A receita foi aprovada pelos amigos do casal, e o que chamou a atenção foi que os elogios também vinham de pessoas que não eram adeptas ao cardápio vegano.

Antes de inaugurar o No Bones, o casal fez uma enquete com as pessoas da região para saber a aceitação do novo produto do mercado. Perceberam que no bairro Perdizes em São Paulo, a aceitação seria boa, haja vista a grande concentração de vegetarianos por ali.

O cardápio é variado, mas nenhuma opção tem carne de origem animal. O estoque de produtos foi consumido em cerca de duas horas, para espanto do casal, que fez um cálculo diferente da quantidade que seria vendida:

“Em cerca de duas horas acabou todo o estoque. Teve gente que comprou 40, 50 produtos. Nós tínhamos calculado uma média de cinco produtos por pessoa. Abrimos às 10h, mas antes já tinha gente na porta”

Histórias como as de Marcella e Brunno e de Jeane, provam que o Brasil está se adaptando cada vez mais a uma culinária saudável, e vale a pena investir nesse nicho peculiar com boas ideias e uma pitada criatividade.

FONTE

Saiba mais

 

A casa de shows Domus Hall de Roberto Santiago bomba nesse verão

No dia 7 de setembro de 2009 inaugurou a Domus Hall, uma das mais badaladas casas de festas de João Pessoa, Paraíba, embalados por Zezé de Camargo e Luciano que batizaram o palco com o melhor do sertanejo. A dupla foi o primeiro de muitos outros artistas que brilharam nesses últimos 7 anos da casa de shows do Roberto Santiago.

Além das atrações musicais a Domus Hall possui em sua agenda fixa espetáculos teatrais, apresentação de Stand-ups e deixa seu espaço a disposição para eventos privados como casamentos, formaturas, feiras e eventos. Domus Hall se tornou uma opção indispensável da noite Paraibana.

Sua estrutura primorosa possui dois andares, o mezanino, com Lounge Music e acesso aos camarins com espaços de camarote vip individual e prive para até 10 pessoas. No primeiro andar, suporta 4 mil pessoas sentadas e até 10 mil em pé, climatização controlada para dar o máximo de conforto na experiência do cliente dentro da casa. A casa de shows localiza-se dentro do Manaira shopping, empresa do Roberto Santiago.

No dia 16 de janeiro de 2017, se apresentou pelo festival Fest verão Paraíba o cantor Wesley Safadão, que está sempre no topo das paradas de sucesso, diante do amplo espaço lotado apresentou o novo hit do próximo carnaval, “eu não nasci pra ser fit”. As baladas de forro do Wesley Safadão já tinham contagiado a Domus Hall em outros eventos.

Em 2015 se apresentou o Fabio Porchat, com o melhor do Stand up com o show “Fora do normal”, fazendo observações hilárias sobre situações cotidianas como telemarketing, viagem de avião, tecnologia em banheiros. Uma apresentação sem cenário, figurino, trilha sonora, apenas o caloroso contato direto com o artista. A casa também recebeu a elogiada peça do Paulo Gustavo “Minha Mãe é uma peça”, que teve uma adaptação ao cinema e inclusive estava recentemente em cartaz com a sequencia “minha mãe é uma peça 2”.

Roberto Santiago inaugurou o Manaira Shopping em 1989, estrategicamente localizado entre o centro e as praias de João Pessoa que possui no momento mais de 300 lojas, e já se tornou um dos Shoppings mais visitados da Paraíba. Recentemente, o shopping do Roberto Santiago recebeu uma incrível exposição sobre dragões, uma mostra internacional, levando o público para um misto de fantasia e cultura, pois a exposição explicava a figura do dragão em diversos contextos culturais.

Numa região próxima ao espaço Gourmet do Shopping foram expostos 10 dragões robotizados, sendo que o maior deles possuía 5 metros de altura, o que mostra a grandiosidade da exposição. Eles faziam movimentos incríveis com a boca, asas, emitiam sons e simulavam a respiração de forma realista.

Roberto Santiago é paraibano de 58 anos nascido em João Pessoa, além de se dedicar ao empreendedorismo é um amante de kart e expõe da sua estante muitos troféus, sendo o único campeão brasileiro de Kart e já venceu diversas vezes o campeonato estadual. Sendo um esportista, ele inclui em sua rotina outras atividades como ski na neve e pilotar o jet ski pulando ondas.

As comodidades do Home-Office exigem disciplina

Atualmente a flexibilidade que a globalização e a intercomunicação disponibilizam trazem uma facilidade que pode melhorar a vida do empreendedor que pretende trabalhar em casa, no entanto, da mesma forma que existem facilidades é importante manter o foco no trabalho para realizar com eficiência as tarefas que fazem parte da rotina de um profissional autônomo ou de uma empresa que está sendo gerida em casa.

Os benefícios do Home-Office são muitos e essas possibilidades atraentes podem ser a uma das principais motivações do profissional. Quando se trabalha em casa, o tempo de trajeto e os custos de carro ou transporte público que são gastos para chegar em uma empresa são inexistentes, essas vantagens de tempo e dinheiro podem ser convertidas em qualidade de vida para o profissional que pode acordar um pouco mais tarde ou passar mais tempo com a família no café-da-manhã. A proximidade com a família é um dos pontos altos para quem pretende trabalhar em casa, mas pode ser que não entendam inicialmente que apesar de estar em casa o profissional precisa manter o foco e não se distrair com os assuntos domésticos.

Ao mesmo tempo em que uma atividade está sendo exercida o empreendedor que trabalha no formato Home-Office tem a vantagem de se sentir mais confortável por estar em sua própria casa sem a formalidade de um ambiente corporativo. É preciso também que um espaço especialmente para o trabalho seja reservado na casa para que haja uma comunicação sem distrações quando são feitas chamadas pela internet ou ligações referentes ao trabalho. Ter um contato sem ruídos externos é uma boa forma de causar uma boa impressão no Home-Office.

Para usufruir de todas as comodidades de uma atividade profissional Home-Office é essencial disciplina. Existem grandes chances de perder o foco estando em casa com todo o conforto do lar e suas distrações, então por isso deve-se definir qual o horário de trabalho, quando é o seu início e quando é o seu término, em alguns casos, é aceitável adaptações de horários em eventualidades como uma consulta médica ou obrigações burocráticas e posteriormente repor as horas que foram gastas em outro horário com essas pendências pessoais. Outra maneira de permanecer eficiente é administrar bem o tempo que cada tarefa precisa ser realizada, dessa forma essa consciência de tempo no trabalho irá ajudar a não perder o foco com possíveis distrações.

Se o profissional consegue definir suas atividades e cumprir com todas as obrigações do trabalho em sua casa então certamente a escolha pelo Home-Office será uma ótima decisão. Não é tão simples quanto parece trabalhar em casa, mas quando se consegue manter uma postura regrada não existem motivos para que o trabalho exercido não seja tão bem realizado quanto o de alguém que precisa gastar muito tempo no trânsito para chegar em um escritório.

Vendedora troca emprego por faturamento de R$20 milhões com sua rede de lojas

A empreendedora Jeane Moura, ex vendedora de roupas, aproveitou a carência existente no mercado e passou a investir na venda de comidas saudáveis, montando sua própria rede de lojas

Diante das mudanças ocorridas no habito alimentar do brasileiro, em 2016, segundo pesquisa noticiada pela Kantar Worldpanel, o Brasil foi considerado, entre os vários concorrentes, o quinto maior mercado de alimentação saudável. Como é possível notar, atualmente, não é necessário fazer muito esforço em busca de uma boa alimentação. Entretanto, a cerca de dez anos atrás a situação era bem diferente.

Em 2007, Jeane Moura, decidiu abandonar seu emprego de vendedora de roupas em uma loja de shopping para investir em sua visão empreendedora, fundando o restaurante DNA Natural. A empresária enxergou a oportunidade de sucesso ante da falta de opções para quem desejava fugir do fast-food e manter uma alimentação balanceada e sadia. “Sentia falta de comida saudável em shopping”, diz Jeane. As 50 unidades da rede, entre lojas de rua e shoppings, foram responsáveis por possibilitar, em 2016, um faturamento de aproximadamente R$20 milhões.

Coragem e certeza

Mesmo sem experiência na área, Jeane não hesitou em investir nesse mercado tão pouco explorado na época. A necessidade de fazer cursos para aprender a administrar e lidar com as diferentes situações que surgem no mundo empreendedor não foi o suficiente para inibir a entrada da moça nesse nicho de mercado, rumo ao desconhecido.

Com seus grelhados, wraps, sanduíches e suco natural de laranja, conseguiu alcançar destaque imediato na praça de alimentação do shopping. O fato de sobressair com seu diferencial possibilitou a expansão da marca e a criação de outros formatos de lojas, sendo o modelo de rua o mais lucrativo. “Shopping tem vários concorrentes do meu lado. Tenho que me destacar com bom atendimento e cardápio saboroso. O mais difícil é mostrar que o saudável também é saboroso”, explica.

Alcance e expansão

Ainda que possua como foco principal fornecer refeições saudáveis, a rede é capaz de atender a todos os públicos, se adaptando e oferecendo opções de acordo com o gosto dos clientes. “Tenho até hoje refrigerante na geladeira. Minha intenção é ter opções para o cliente. Você consegue levar um acompanhante que não é saudável”, afirma.

Para Jeane, as projeções a serem realizadas neste ano são bastante otimistas. Se tratando do futuro dos negócios, além de pretender abrir, pelo menos, mais cinco lojas e almejar o aumento de seu faturamento em 10% com relação ao registrado em 2016, a empresária planeja expandir sua rede para o mercado internacional, levando o DNA Natural aos Estados Unidos e proporcionando uma alimentação mais saudável e segura ao povo norte americano.

Fonte do texto Vendedora troca emprego por faturamento de R$ 20 milhões com sua rede de lojas.

Fonte

Inovação, Conhecimento, Gestão Empresarial e Capital são as Armas Certas para o Sucesso no Empreendedorismo, por Flavio Maluf

O Brasil é um dos países mais empreendedores do mundo de acordo com as pesquisas da GEM (Global Entrepreneurship Monitor) e a sétima economia mundial quando medida pelo PIB (Produto Interno Bruto), estando à frente de vários países de primeiro mundo, segundo os dados reportados pelo site: “empreendedor.com.br”. Entretanto, embora noticiado pelo mesmo site que apenas 1% das grandes empresas represente 80% do PIB nacional, ser empreendedor é uma característica de muitos brasileiros, que buscam na abertura do seu próprio negócio, uma alternativa para o desemprego e falta de oportunidades em suas áreas de formação.

Abrir seu próprio negócio pode aparentar a melhor saída frente à falta de oportunidades na recolocação no mercado, mas o grande desafio é garantir sua permanência nele. Uma questão pouco lembrada na hora de empreender é o conhecimento que o empresário possui na área em que deseja iniciar, sua habilidade em gestão empresarial e o capital necessário para o investimento e manutenção do negócio.

Outra abordagem, muitas vezes deixada de lado é a inovação. Hoje não basta abrir um negócio, é preciso começar com um diferencial. Possuir um “destaque” em relação à concorrência é primordial para garantir o sucesso no empreendedorismo, pois além da concorrência, o consumidor está cada vez mais exigente e buscado produtos e serviços diferenciados e de qualidade.

Um forte exemplo dessas características e de sucesso em gestão é encontrado na trajetória de Flavio Maluf, hoje atual presidente do Grupo Eucatex, onde o foco em inovação e grandes investimentos visando o lançamento de novos produtos é uma de suas marcas.

Flavio Maluf é formado em engenharia mecânica pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), na cidade de São Paulo. Trabalhou e estudou também administração na Universidade de Nova York (NYU) e ao assumir a presidência da empresa, Flavio Maluf iniciou um processo de modernização, conforme o seu formato de gestão, com um perfil agressivo, objetivando a perfeição e o sucesso da companhia todos os dias. Segundo reporta o site “http://zip.net/bqtDxt” Flavio Maluf se considera um empresário muito presente, embora nada centralizador.

Saber delegar tarefas, embora não seja uma das atribuições mais importantes na hora de empreender, é uma característica que merece atenção, pois centralizar tudo pode acarretar prejuízos a logo prazo, além da desorganização e perda de controle das situações que ocorrem no cotidiano de uma empresa.

O Grupo Eucatex também serve como exemplo quando o assunto é a inovação e conhecimento, a empresa iniciou suas atividades no ano de 1951 como a primeira empresa brasileira a apresentar uma proposta em conforto ambiental e acústico, utilizando a madeira do eucalipto como matéria-prima para a elaboração de chapas e painéis. Hoje o Grupo Eucatex atende diversos fabricantes de móveis e grandes indústrias da construção civil.

Exemplos como do Flavio Maluf e do Grupo Eucatex são provas de que para empreender é necessário ter inovação, conhecimento, gestão empresarial e capital para investir, sendo estes apenas os principais e não exclusivamente os únicos quesitos para se alcançar o sucesso.

 

Confira o que é ser um freelancer atualmente

O freelance, ou trabalho autônomo no bom e velho português, hoje em dia vem deixando de ser, cada vez mais, visto como apenas um trabalho informal e muito menos sinônimo de trabalho sem qualidade. Tendo adeptos das mais diversas áreas e oferecendo os mais diversos tipos de serviço, os freelas vem se tornando uma tendência global, em algumas áreas mais que as outras, ainda assim, vem chamando a atenção, tanto de empresas quanto de empreendedores e da população em geral, cada vez mais cansada dos serviços padrões vistos nas indústrias e mercado de trabalho em geral. Conheça um pouco mais do que é ser freelancer.

 

Seu tempo e seu salário

O freelancer, como um trabalhador autônomo, tem a chance de escolher se vai aceitar determinado tipo de serviço a ser prestado ou não, dessa forma ele tem controle do quanto ganha (ou deixa de ganhar ocasionalmente), então esse tipo de profissional deve manter um cronograma ou meta para cada mês, ou semana, para então ter um salário adaptado às necessidades e condições.

O mesmo também tem que lidar com a possibilidade de estar numa época com pouco serviço, assim, tendo as vezes que recorrer à empréstimos e uso de cartões de crédito em determinados períodos. E claro, para ser freela não necessariamente precisa estar fora de um emprego convencional. O freelancing serve de forma eficaz para aqueles que querem ganhar uma renda extra.

 

Local de trabalho: onde quiser

Aqueles que se dedicam exclusivamente precisam ser profissionais focados e dedicados, e precisam controlar coisas como a distração, desanimo. A grande maioria dos freelancers acabam tendo como seu escritório sua própria casa, o que oferece uma enorme quantidade de conforto e ao mesmo tempo muita distração e oportunidades de se ‘esquivar’ de seu próprio trabalho. Então esse tipo de empreendedor deve ser totalmente centrado e focado, ou ter suas próprias táticas para se manter focado.

Alguns destes profissionais vem buscando formas alternativas para trabalhar, como por exemplo em escritórios compartilhados, também conhecidos como escritórios de coworking; bibliotecas, cyber cafés e outros espaços são muito utilizados também.

 

Planejamento

Como dito antes, o freelancer é responsável por sua renda ou quantidade de tempo que deseja dispor aos freelas. Para evitar apertos (financeiros ou de prazo), todo freelancer precisa manter um planejamento mínimo, seja diário, semanal ou mensal. E para isso é preciso uma série de questões em consideração, afinal, trabalhos atrasados ou não entregues, por exemplo, irão prejudicar não apenas a reputação do mesmo, e tal pode dificultar a encontrar novos clientes no futuro.

O freelance pode ser uma saída muito produtiva para aqueles que não se sentem no perfil de empregos tradicionais, ou mesmo para aqueles que precisam de renda extra, mas, no entanto, o freelance exige tanta dedicação e cuidado como qualquer tipo de trabalho, por isso é preciso se dedicar tanto quanto, ou até mais que em um emprego tradicional.

 

Empreender: algumas verdades não tão certas assim

Alguns chavões repetidos à exaustão acabam por vezes enganando quem ainda não entende muito de determinado assunto. É o que Goebbels, chefe de propaganda do nazismo na Alemanha dizia: “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”. Pois no mundo do empreendedorismo – pelo fato de ser recente esta grande quantidade de empreendedores em nosso país – ainda existem várias “verdades” não tão corretas assim.

 

A primeira diz respeito ao “ser chefe de si mesmo”. Sendo empreendedor, por mais que você não tenha que responder de forma hierárquica a ninguém, você está a mercê de diversas pessoas – ao menos na fase inicial do negócio -, como seus clientes, seus parceiros e seus funcionários (que por vezes dependem do bom funcionamento do empreendimento para sobreviverem). São os seus “chefes”.

 

Outro questionamento na forma de verdade diz respeito a possibilidade de se ficar rico com o seu negócio próprio. É bem verdade que alguns (poucos) conseguem – seja por senso de oportunidade, por negócios obscuros ou até mesmo por um pouco de sorte – mas não é a realidade da grande maioria; você tem mais probabilidade de, trabalhando bem, ter uma empresa próspera e que atenda bem os clientes de seu bairro do que efetivamente ficar rico.

 

Para quem já trabalhou em empresas, ademais, é mais fácil se tornar empreendedor? Na maioria das vezes, não. A verdade é que o mundo corporativo, por fracionar muito as tarefas, não dá aos funcionários a visão do todo – não os preparando, assim, para abrir o seu próprio negócio, quando precisamos ter uma visão mais completa, do todo.

 

A questão de pedir ou não ajuda também é algo que vem à tona quando da ideia de abrir algum negócio. Por vezes, com medo de futuramente ter de ceder parte da empresa, alguns empreendedores relutam em pedir ajuda, e acabam por quebrar a cara caso não conheçam o ramo em que tentam se inserir. É muito importante deixar o orgulho de lado e pedir ajuda – desde que para as pessoas certa. Ter um sócio também é normalmente vantajoso, a fim de ter com quem compartilhar os problemas que (com certeza) surgirão.

 

Uma verdade, porém, que subsiste é a questão do investimento inicial. Não há como abrir um negócio sem qualquer dinheiro disponível – a não ser que seja uma parceira onde alguém invista o dinheiro e o outro sócio a parte intelectual da coisa. Mas o certo é que a parte mais vulnerável do empreendimento sempre será a que não investiu financeiramente.

 

O mundo dos negócio é ingrato. Com a crise, o consumo em nosso país decaiu muito, e muitas empresas fecharam as portas. Porém, não é o caso de desistir de empreender, mas de ter mais cuidado na hora da decisão. Não agir por impulso e ter sempre com quem contar para auxiliar com conselhos e escolhas sempre será essencial – podendo ser a diferença entre o sucesso e a ruína de sua empresa.

 

O Sebrae é um órgão que pode lhe auxiliar para a formação de sua empresa: http://bit.ly/2frK1rh

Dinamismo e empreendedorismo são marcas da trajetória empresarial de Eduardo Sirotsky Melzer

À frente do Grupo RBS, como presidente executivo do grupo desde 2012, Eduardo Sirotsky Melzer continua a trajetória bem sucedida da família Sirotsky. A tradicional empresa de comunicação do sul do país é composta por um histórico de grandes líderes ao longo das gerações. Foi assim com seu avô, Maurício Sirotsky Sobrinho, primeiro líder e fundador do grupo, com seu tio-avô Jayme Sirotsky e também com seu tio Nelson Sirotsky.

O reconhecimento internacional mais recente do grupo veio através do mais novo líder da empresa, Eduardo Sirotsky Melzer, que conquistou o prêmio de empreendedor do ano de 2015 pela Ernst & Young. Mesmo antes de ter sido nomeado presidente do grupo, Eduardo Sirotsky Melzer já havia dados seus primeiros passos como empreendedor. Nos anos 90, ainda bem jovem, já possuía seu próprio negócio. Comandava, como franqueador, a Sweet Sweet Way, com filiais espalhadas por todo Brasil. Tal empreendimento tratava-se de uma rede lojas de doces e derivados do ramo da importação.

O início da carreira nas empresas da família só aconteceu anos após a sua graduação em Administração de Empresas, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Porém, antes de chegar à liderança do grupo, o membro da tradicional família Sirotsky foi em busca do aperfeiçoamento. Fez especializações no campo administrativo. Primeiramente através do curso de MBA na Harvard Business School. Posteriormente, já como executivo das empresas da família, ainda pela Harvard Business School, realizou os cursos de executivo Building and Leading Customer Centric Organization e de executivo Effective Strategies for Media Companies.

Mas, Eduardo Sirotsky Melzer não se limita apenas a vida de empresário e presidente de uma das maiores empresas de comunicação e mídia do Brasil. Também tem se dedicado ao mundo das artes, participando da mostra internacional de arte contemporânea de Porto Alegre, exercendo o papel de conselheiro da Bienal do Mercosul. Fez parte, como membro conselheiro, de importantes entidades nacionais, como do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (CONAR) entre 2005 e 2008 e, em 2015, do Conselho da Bienal do Mercosul. Sem deixar de mencionar a sua constante presença nos eventos das maiores corporações empresariais do planeta, tais como do Google, da Zeitgeist Tech e da Allen & Co.

Sua intensa atuação no meio empresarial já lhe rendeu o reconhecimento e importantes premiações, como o de profissional de 2006, com o Prêmio Caboré e o Prêmio Empreendedor do Ano da Ernst & Young, na categoria Family Business em 2015.

Do seu grande interesse em procurar expandir os negócios do grupo, aposta na eficiência de um bom planejamento de gestão pessoal. Dessa forma, acredita que, um ambiente corporativo que preze pelos seus funcionários e que leve em consideração as relações entre os sujeitos, estará sempre na direção certa do crescimento. No entanto, apostar no crescimento, num momento de instabilidade econômica que o Brasil vive, é preciso ser bastante ousado. E é dessa forma que Eduardo Sirotsky Melzer, como um grande líder, vem atuando, realizando grandes investimentos em vários setores do grupo que ele comanda.

 

Quer que seu filho seja um jovem empreendedor? Saiba como com essas dicas simples: É preciso estimular atitudes empreendedoras nas pessoas desde a infância para elas tornarem-se empreendedoras de sucesso

Atitudes simples podem fazer toda a diferença

As crianças geralmente são tratadas como pessoas incapazes de lidar com qualquer situação séria, mas o espírito empreendedor do adulto é formado justamente nessa fase da vida. Para ajudar seus filhos a desenvolverem as capacidades necessárias para conquistar o mundo com suas ideias de negócio, os pais desde cede devem mostrar a realidade como ela é.

 

Um bom conselho é não dar mesadas. A mesada simula uma realidade isolada em que a criança sempre recebe um benefício independente do que aconteça. O empreendedor deve conquistar seus ganhos a partir de suas próprias ações e frequentemente ele obterá valores varáveis. Quem recebe sempre o mesmo valor normalmente é o empregado. Uma boa alternativa seria avaliar as necessidades da criança para aquele mês e entregar o dinheiro necessário.

 

Para que as crianças não se sintam acomodadas, é importante que os pais evitem mostrar uma grande herença. O ser humano busca por aquilo que ele precisa. Se ele acreditar que não é necessário lutar porque tudo já está garantido, ele provavelmente não fará nada. Por isso é tão comum que os filhos de pais ricos sejam malsucedidos nos negócios. As crianças devem pensar que seus esforços são importantes para a conquista de uma vida melhor.

 

Outra dica importante é ensinar o valor do aprendizado. Talvez já tenha existido uma época em que bastava o conhecimento prático, mas isso não ocorre na atual Era da Informação. É preciso buscar mais e mais conhecimento para superar a competição do mundo empresarial. Se o indivíduo não começar a fazer isso na infância, provavelmente não fará quando for adulto. Estimular a leitura, as pesquisas e o sentimento de engrandecimento e tornar-se cada vez mais capaz de vencer as dificuldades pode fazer toda a diferença na carreira do seu filho nos negócios.

 

Mas também é importante entender que frequentemente as crianças mudam de ideia e fazem planos impossíveis e por isso elas terão uma grande tendência em falhar. Prepare-as para isso e explique que não são as falhas que fazem os derrotados, mas sim o fato de deixarem de tentar. A História está repleta de pessoas de grande sucesso que tropeçaram várias vezes em seu caminho. Conte sobre elas e as crianças estarão mais dispostas a aceitarem seus próprios erros.

 

Todas essas atitudes terão um valor mínimo se as crianças não aprenderam a preocupar-se com os próximos. As grandes ideias empreendedoras apenas tornarem-se grandes porque muitas pessoas foram beneficiadas por elas. Por isso é tão importante entender como o contexto atual afeta os seres humanos. Procurar conhecer o sentimento dos moradores do bairro em relação a alguma mudança, buscar por notícias de jornais e a reação das pessoas diante delas e até mesmo ficar por dentro das transformações do mundo são atitudes que devem ser estimuladas nas crianças para tornarem-se empreendedoras de sucesso. Claro que tudo isso deve ser dosado de acordo com as capacidades da criança, mas sempre há algo a se aprender e elas são muito mais inteligentes do que normalmente se acredita.

 

Maiores informações :  http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2016/10/11/nao-de-mesada-veja-essa-e-mais-10-dicas-para-seu-filho-virar-empresario.htm