A nova realidade social do google friend connect

O objetivo do Google Friend Connect, um aplicativo apresentado em maio de 2008, é tornar seu blog um ponto de referência para os leitores que desejam conhecer seu espaço na web e outros usuários que lêem seu conteúdo.

Graças às últimas alterações feitas pela equipe do Google (e comunicadas por meio de um comunicado de imprensa do Blog oficial do Google), o Google Friend Connect ajuda você a aumentar a taxa de “sociabilidade” oferecida pelo seu blog. Por que você não tira vantagem disso também?

O pivô de toda a revolução do Google Friend Connect é a seção “Interesses”, um conjunto de perguntas que você pode propor a novos usuários que assinam seu perfil e que permitem coletar informações valiosas.

Por exemplo, se você editar um blog dedicado notícias de futebol, peça aos recém-chegados que indiquem seu time favorito se tiverem uma marca favorita de roupas esportivas ou se já tiverem participado de um torneio amador.

As informações coletadas podem ser compartilhadas com a comunidade, modificando-as no perfil do Google Friend Connect e permitindo que você implemente uma série de ferramentas particularmente interessantes:

Boletins informativos personalizados – Com esta ferramenta você pode criar e enviar newsletters para todos os seus contatos ou apenas para uma parte deles. De fato, graças aos dados inseridos na seção “interesses”, você pode enviar boletins informativos personalizados para os diferentes segmentos de usuários registrados, definidos com base nas respostas indicadas durante o registro.

Anúncios do AdSense – A partir de hoje, você pode relacionar os interesses dos usuários registrados em seus anúncios do Google Friend Connect com o Google AdSense. Qual é o ponto de virada decisivo para ganhar algo mais com o seu blog?

Conteúdo em destaque – Cansado de seus plugins que mostram artigos que ninguém gosta? Então você pode usar o widget que mostra o conteúdo em primeiro plano, uma espécie de blogroll dinâmico com os posts mais adequados para atrair a atenção dos usuários registrados para o seu site. Obviamente, também neste caso, tudo é baseado nas informações coletadas das perguntas iniciais.

Uma última dica: dado que todas essas novas funções sociais são baseadas nos dados coletados pela seção de interesses, vale a pena refletir um pouco sobre as perguntas a serem feitas aos usuários que desejam se cadastrar.

Facebook está procurando trazer mensagens de volta ao aplicativo principal

De acordo com o código no back-end do aplicativo do Facebook, a The Social Network pode em breve procurar trazer mensagens de volta para a plataforma principal, ao invés de redirecionar os usuários para seu aplicativo Messenger separado.

Imagens de bate-papos no Facebook – Como você pode ver aqui, a hacker de código Jane Manchun Wong localizou um novo teste que renomeia mensagens como ‘Chats’ e mantém essas interações no aplicativo principal, ao invés de abrir no Messenger.

Wong observa que a opção “Chat” não inclui toda a funcionalidade de mensagens disponível no Messenger, mas permite que os usuários interajam nas mensagens sem precisar alternar para o aplicativo separado.

O Facebook inicialmente tinha suas ferramentas de mensagens integradas na plataforma principal, mas as transformou no Messenger em 2014, forçando os usuários a fazer o download do Messenger para manter a conexão com seus amigos. Isso deu ao Facebook uma plataforma de usuário totalmente nova, multimilionária (agora bilhões), mas a empresa foi amplamente criticada pelo jogo, e o aplicativo Messenger foi destruído por críticos como resultado de economia.

Agora, com o Facebook planejando se dedicar mais ao sistema de mensagens privadas e, eventualmente, integrar suas várias plataformas de mensagens, aparentemente está procurando reverter sua abordagem.

A alteração pode facilitar a conexão com os usuários por meio de mensagens, mas também pode tirar um pouco do foco do Messenger como uma plataforma conectiva. Conforme observado, ainda haveria funcionalidades no Messenger que não seriam replicadas no aplicativo principal, mas se os usuários não precisarem alternar o Messenger para manter as conversas, talvez não precisem, o que poderia afetar o uso geral do Messenger.

O Facebook pode estar criando um desafio para si mesmo – se os usuários não precisarem migrar para o Messenger, talvez o Facebook esteja se esforçando para tornar o aplicativo Messenger mais atraente, com novas ferramentas e recursos projetados para atrair usuários. Ou pode ser tentando melhor equilíbrio engajamento on-plataforma através dos dois aplicativos – enquanto Mensageiro utilização tem vindo a aumentar, o engajamento dentro de aplicativo principal do Facebook tem, supostamente, está em declínio. Ao ativar o envio de mensagens no Facebook, talvez ele perca algum envolvimento no Messenger, mas ganhe algum no Facebook, equilibrando melhor seu tempo total gasto e aumentando seu potencial de anúncio subsequente entre os dois.

Valor do aluguel sobe, mas aplicativos facilitam o melhor preço

Alugar um lugar para morar nos dias de hoje não está mais limitado a entrar em contato com um corretor de imóveis. Aplicativos como o Airbnb e o Quinto Andar, facilitam tanto a comunicação imediata quanto a locação com valores e comodidades raramente encontradas em uma busca tradicional.

Todo mundo deseja morar em uma boa região que esteja dentro de um valor razoável, e é isso o que os aplicativos proporcionam. O usuário consegue diversas opções que propiciam rapidez na hora da decisão para estadias curtas também. Uma pessoa que vai passar apenas dois dias na praia, e deseja alugar um apartamento perto do mar pode conseguir em poucas horas um proprietário que tenha diversas referências.

A burocracia com comprovação de renda e outros documentos é ultrapassada pelas facilidades dos aplicativos. O Quinto Andar, por exemplo, tem imóveis para locação em que o contato é diretamente com o proprietário.

No mercado, o preço dos imóveis anda subindo, no mês de fevereiro houve uma alta de 0,22%. De acordo com o Índice FipeZap, o preço dos aluguéis  está acima da inflação  pois chegam a 0,65%. Em onze cidades do país, as notícias indicam que o preço médio subiu. Na economia a alta dos preços passam de 0,43%, pelo IPCA, que mede a economia.

De maneira vagarosa os preços começam a terem uma valorização, o que deixa mais difícil a negociação. Nos últimos anos, a cidade que mais sofreu aumento nos preços dos aluguéis foi Brasília com 7,38%, e na sequência vem Recife, com 7,22% de acréscimo. Fortaleza, teve uma queda, chegando a -1,19%, e o Rio de Janeiro a -2,62%.

Os preços mais caros de aluguel no país são de São Paulo, com um valor de R$ 37,40 por metro quadrado, na sequência vem o Rio de Janeiro com R$ 30,41/m² e com R$ 28,48/m², Brasília. Quem quiser pagar menos no aluguel, as capitais que apresentam o menor preço para o valor médio de locação residencial é Fortaleza, com R$ 15,69/m², Goiânia com R$ 16,26m/m² e Curitiba, com R$ 18,11/m².

Pesquisar e fazer um planejamento financeiro antes de alugar um imóvel, irá deixar a decisão melhor, por isso é preciso de tempo para encontrar a escolha ideal.

Erros e situações típicos de projetos de TI não gerenciados

Qualquer gerente pode se deparar com uma situação em que um projeto bem-sucedido e em desenvolvimento seja capaz de se tornar incontrolável.

Querendo ver resultados concretos, você entende que as tarefas que foram definidas são realizadas de forma ineficiente e, em geral algo não está indo exatamente como esperado. Parece que há um plano claro, objetivos, equipe – mas não há resultados, o projeto fica parado e não está crescendo.

Vamos considerar junto com você quais erros típicos isso pode acontecer e em que situações.

Plano de projeto – Existe um plano claro, mas veja se o projeto está indo na direção errada? Então é hora de sentar e finalizar o plano. E quem disse que ele não precisa refinar? Se os processos e tarefas executadas não atenderem às necessidades do mercado e não atenderem às expectativas dos clientes, o projeto simplesmente se tornará inútil.

Fadiga da equipe – Certifique-se de que sua equipe não esteja esgotada trabalhando nas tarefas atuais. Olhe atentamente e se você perceber que alguém está cansado, delegue as tarefas a outros especialistas, transplante o especialista para realizar tarefas menores, mas menos trabalhosas, simplesmente mande-o de férias e deixe-o descansar!

Falta de conhecimento e experiência – Descubra se sua equipe tem conhecimento e experiência suficientes para concluir as tarefas atuais. Se eles não forem suficientes, pense em como você pode combinar o treinamento de seus funcionários com a implementação das tarefas atuais. Se isso não for possível, reserve um tempo para aprender. Se não houver tempo para treinamento, procure um especialista mais profissional que aconselhe, dê as recomendações necessárias e envie uma equipe para o caminho verdadeiro. A escolha é apenas sua: ajudar os funcionários a realizar tarefas com sucesso ou deixar tudo como está. Em geral, deve ser do interesse da empresa – o desejo de contribuir para a formação contínua dos funcionários.

A equipe não tem motivação – O declínio na velocidade e qualidade do trabalho em um projeto pode ser a falta habitual de motivação para os negócios. O salário não é contado aqui. Com que frequência você incentiva uma equipe com bônus em dinheiro depois de completar com sucesso tarefas e planos para o ano? Não há oportunidade de motivar financeiramente? Motive os funcionários com alguma palavra ou diploma agradável com um presente. E faça isso em público para que os outros também se esforcem pelos mesmos resultados.

 

Criar captura de tela no Windows: como funciona!

As capturas de tela são uma ótima maneira de fazer amigos ou colegas perceberem rapidamente o que você está vendo em seu monitor. Isso pode ser útil se você tiver descoberto algo engraçado, se quiser rapidamente fazer uma anotação em uma apresentação ou quiser mostrar ao suporte exatamente o que está errado no seu sistema. Felizmente, você não precisa mais focalizar a câmera na tela. Os sistemas Apple e Windows PC já possuem ferramentas integradas. Vamos explicar como tirar rapidamente um instantâneo e editá- lo no Windows.

Criar uma captura de tela no sistema operacional da Microsoft é muito simples: ao pressionar a tecla [Imprimir] do seu teclado, você copia a visualização da tela atual para a área de transferência. Se você usar dois monitores ao mesmo tempo, as duas telas serão gravadas. Você não quer tirar uma foto da tela inteira, apenas uma janela? Primeiro selecione a janela relevante. Com a combinação de teclas para capturas de tela no Windows – [Alt] + [Print] – você tira um instantâneo disso.

O botão está nos teclados de computador há muito tempo. Em tempos de MS-DOS, e notícias rápidas a impressora conectada era endereçada diretamente: Ao pressionar o botão, os usuários podiam enviar o conteúdo da tela diretamente para o dispositivo e imprimi-lo. Os sistemas modernos usam esse botão para criar quase que exclusivamente cópias digitais e não mais impressões reais.

By the way, o ponteiro do mouse não aparecerá na imagem. Isso pode ser positivo e negativo. Embora você não precise se preocupar se o cursor pode obscurecer informações importantes. No entanto, se você quiser apontar algo específico com a captura de tela, o ponteiro pode ser útil. Você precisará instalar uma ferramenta externa para isso.

Depois que o botão é pressionado, sua captura de tela é a primeira na área de transferência . Essa é uma memória temporária que o Windows usa para colocar elementos que você copia ou recorta (por exemplo, seções de texto que você recorta e cola no Word). Na área de transferência, você pode colar sua captura de tela em um programa, como o Paint . Para fazer isso, abra o editor de imagens minimalista e cole a imagem da área de transferência. Isto pode ser feito através da barra de menus ou através da combinação de teclas [Ctrl] + [V].

IBGE realiza um importante estudo sobre a origem geográfica dos nomes no Brasil

A cidade de Paraty, município do Rio de Janeiro, passou por um grande questionamento e debate entre os estudiosos há doze anos sobre o nome da cidade. Na época, era discutido se o nome deveria ser escrito com “i” ou com “y”. Esse questionamento teve início assim que as novas regras ortográficas instituídas para os países de língua portuguesa entraram em vigor. Em 2007, o poder municipal da cidade votou e decidiu que o nome mantivesse o “y” independente das novas regras.

Devido a isso e outros fatores, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) realizou um estudo intitulado como Nomes Geográficos com o objetivo de buscar as verdadeiras origens que os nomes de lugares possuem. As notícias sobre esse importante estudo cultural foram publicadas no site oficial do IBGE e em sites relacionados com o assunto. De acordo com os pesquisadores, sabe-se que o nome de municípios, praça, relevo, rio, dentre outros, são patrimônios culturais e devem ser mantidos. Esses nomes são nada mais nada menos que “fósseis linguísticos” que remontam a história da região.

“O nome geográfico tem o poder de transformar o lugar em um espaço vivido, algo marcado por emoções, história e coisas a serem contadas por diversas gerações. Quem dá o nome a esses lugares está envolvido com sua história e cultura do lugar. Ao nomear uma região, estamos englobando diversos fatos daquele local e dando um significado para esse nome, é por isso que nunca devemos jamais descartar um nome geográfico”, diz a pesquisadora responsável pelo estudo, Ana Cristina Resende, Coordenadora de Cartografia do IBGE.

Tomando como exemplo a cidade de Paraty, o argumento que determinou que o nome mantivesse o “Y” foi a origem indígena deste nome. “Foi constatado que podem ser percebidas diferentes tonalidades na pronúncia do “i” na língua indígena. São significados diferentes. No caso do “y”, é a letra que mais se aproxima da tonalidade do “i” que os índios da região utilizavam para designar o território. É o mesmo que dizer paratii, que na linguagem indígena da região significa água que corre. Neste caso, o linguista responsável por dar o nome de Paraty na época achou melhor utilizar o “y” para representar com fidelidade a pronúncia do nome original herdado dos indígenas”, explica a especialista no assunto, Marcia de Almeida Mathias, Coordenadora de Cartografia do IBGE já aposentada.

Equivalente a 0,4% do PIB, investimento em infraestrutura segue abaixo da média

Os investimentos públicos realizados no setor de infraestrutura (rodovias, portos, aeroportos, dentre outros) atingiram a casa dos R$ 27,875 bilhões em 2018. Esse valor é o equivalente a 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. As notícias que levaram a divulgação desse dado foram realizadas pela Secretaria do Tesouro Nacional.

No ano passado, esse patamar de investimento no setor foi considerado um dos menores, ficando a frente somente do número observado em 2008, ano em que o investimento no setor foi de R$ 20,386 bilhões.

Desde o começo da vigência junto a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, por muitos conhecida como a PEC do teto de gastos, as despesas totais não podem mais exceder a inflação constatada de forma oficial até o mês de junho do ano anterior. Devido ao fato de que os gastos obrigatórios passam a ser cada vez maiores, o governo determinou que deverão ser cortadas despesas discricionárias, como os valores investidos em infraestrutura, por exemplo. Desta forma, o governo pretende equilibrar as contas e encerrar o ano com as dívidas públicas controladas.

A PEC do teto de gastos foi sancionada pelo governo anterior, tendo como principal objetivo evitar os sucessivos déficits registrados ano após ano. Entre 2014 e 2017, o déficit observado nas contas públicas passou dos R$ 100 bilhões. Já no ano passado, o déficit primário, valor que deixa de lado os juros da dívida pública, encerraram o ano em R$ 120 bilhões. Grande parte deste resultado negativo é devido a Previdência Social, uma despesa obrigatória que atingiu a casa dos R$ 195 bilhões em 2018.

De acordo com o Tesouro Nacional, os números observados sobre o investimento em infraestrutura apontam uma grande necessidade de revisão sobre a prioridade das despesas obrigatórias. É necessário um fortalecimento de todas as instituições que realizam a gestão de investimento público no Brasil, que devem ocorrer em um esforço mútuo. Todo esse esforço deve ser para priorizar o cenário fiscal no Brasil e não sacrificar gastos importantes que não devem ser contratados, como é caso da infraestrutura, saúde, educação, dentre outros.

Estratégia de Marketing Alvo

Dado o estado atual da economia, dedicar tempo e recursos para identificar mercados mais direcionados pode ajudá-lo a maximizar sua estratégia de marketing. Esse processo – saber quando e para quem comercializar seu produto ou serviço – pode resultar em taxas de retorno muito mais altas. Ninguém pode se dar ao luxo de segmentar todos. Pequenas empresas de negócios podem efetivamente competir com grandes empresas, visando um nicho de mercado. Com um público-alvo claramente definido, é muito mais fácil determinar onde e como comercializar sua empresa.

Aqui estão algumas dicas para identificar uma boa estratégia de marketing. A primeira dica é que não há uma estratégia única para atender a todos os grupos de consumidores, por isso é crucial criar estratégias personalizadas para seus mercados-alvo. A segunda dica é realizar uma análise de custo-benefício de todas as estratégias disponíveis antes de selecionar uma abordagem de segmentação específica, para que você saiba qual é a que melhor se adapta à sua empresa. Existem três estratégias gerais para escolher o seu mercado-alvo:

Segmentação indiferenciada ou de massa: Com essa estratégia , a equipe de marketing vê o mercado como um grupo usando uma única estratégia de marketing. Como mencionamos anteriormente, no entanto, embora essa abordagem pudesse ter sido atraente nos primeiros dias de marketing, quando a Ford apresentou seu Modelo-T, um número limitado de empresas agora a vê como uma estratégia viável.

Concentração ou nicho de segmentação: Essa abordagem combina marketing de massa e segmentação, concentrando-se em um determinado nicho de mercado no qual os esforços de marketing são direcionados. É usado principalmente por pequenas empresas que identificaram um sub-alvo mais restrito de um segmento maior que não é atendido por empresas maiores. Essa estratégia geralmente permite que os primeiros se beneficiem, pois o foco em um segmento permite que eles concorram efetivamente contra empresas maiores.

Segmentação diferenciada ou de vários segmentos de notícias: Essa estratégia é usada pelos profissionais de marketing para segmentar vários mercados usando uma estratégia de marketing exclusiva para cada um deles. A segmentação de vários segmentos oferece principalmente benefícios a grandes empresas de produtos de consumo que oferecem vários produtos (por exemplo, chuteiras e tênis de beisebol) dentro de uma categoria de produto mais ampla (por exemplo, cestas de presente).

Vai para Orlando? Confira as dicas de viagem

Para aproveitar uma viagem e impedir que possíveis imprevistos estraguem o tão sonhado passeio, a melhor maneira é estar atento às exigências que um país pode apresentar. Então se preparar com antecedência e pesquisar sobre os destinos é a melhor maneira de se dar bem, especialmente se a viagem é para Orlando, reduto de parques de diversão visitado por muitas pessoas do mundo todo.

Quem vai para os Estados Unidos precisa estar com toda a documentação em dia. Se algo estiver faltando no momento em que o viajante está passando pela imigração e for pedido o documento então é muito provável que algum problema para entrar aconteça, pois os agentes de imigração dificilmente voltam atrás.

O passaporte é um documento essencial que pode ser pedido e retirado na polícia federal. É necessário pagar uma taxa e esperar para que fique pronto. Depois do passaporte estar em mãos é preciso fazer uma entrevista para o visto dos EUA, antes será necessário responder diversas perguntas em um questionário no site da embaixada.

O seguro é importante para cobrir algum eventual acidente que possa acontecer. Os EUA tem um alto custo para os serviços na saúde, então é melhor se prevenir. Pesquisar os benefícios de cada empresa e o valor que cobrem é essencial para escolher a melhor opção.

Antes de comprar a passagem é melhor garantir o visto. Quem está se planejando com seis meses de antecedência pode encontrar voos mais econômicos. Pesquisar em todos os tipos de sites é importante para conseguir aquele bom preço, monitorar os preços também é uma boa maneira, para isso existem sites como o Google Flights que oferece essa funcionalidade.

No momento de se hospedar é necessário pesquisar bastante também, reservar com antecedência caso a viagem seja na alta temporada é essencial para garantir aquele hotel ou hostel ideal e evitar más notícias em cima da hora.

Acabou o tempo em que somente lugares caros estavam disponíveis para hospedagem, hoje os hostels oferecem bom preço para o viajante que quer aproveitar o máximo das atrações do parque sem gastar muito. Verificar a localização da hospedagem e o transporte disponível para se locomover com conforto é indispensável.

Poderoso algoritmo identifica ancestral desconhecido escondido no DNA humano

Com o intermédio de poderosos algoritmos de aprendizagem somados a métodos estatísticos, os cientistas do IBE (Instituto de Biologia Evolutiva), em parceria com o CNAG-CRG (Centro Nacional de Análises Genômica), com o CRG (Centro de Regulação Genômica) e com o Instituto de Genômica da Universidade de Tartu, descobriram indícios de um novo hominídeo escondidos no genoma de indivíduos asiáticos.

De acordo com a análise computacional ultra moderna do DNA humano, o hominídeo é de ancestrais de milhares de anos anterior aos asiáticos de hoje. A análise revela que espécies extintas de neandertais e denisovanos tiveram contato com seres humanos da Ásia e de fora da África, além desse novo ancestral ainda desconhecido. O estudo explica que o híbrido encontrado recentemente nas cavernas de Denisova não é um fato isolado, fazendo parte de um processo maior de mistura de raças.

As notícias foram publicadas na revista Nature Communications e em sites especializados em notícias científicas. O estudo faz uso pela primeira vez de uma tecnologia avançada com capacidade de aprendizagem profunda na busca de revelar os mistérios da evolução do ser humano. O estudo também expande os horizontes para o uso desta tecnologia em diversas questões biológicas, genômica e evolutiva.

Uma maneira de conseguir distinguir o cruzamento de duas espécies diferentes é que, mesmo elas tendo cruzado, o descendente deste cruzamento não será fértil. Porém, essa explicação abre diversos leques e torna-se muito mais complexa quando uma espécie extinta encontra-se envolvida. Isso de fato pode ser observado em fragmentos de DNA, que armazenam informações sobre os neandertais e os denisovanos. Essas espécies conviveram com o seres humanos há mais de 40 mil anos no continente da Eurásia.

A descoberta do algoritmo vai muito mais além, e tenta identificar a nova espécie escondida no DNA humano. Essa nova espécie descende de 80 mil anos atrás, podendo atingir milhares de anos, segundo revela a pesquisa. Há cerca de 80 mil anos, um evento conhecido como Out of Africa, onde parte da população de seres humanos modernos abandonaram o continente africano e migraram rumo a outros continentes, deu origem às diferentes raças de seres humanos nos dias de hoje”, explicou o principal pesquisador do IBE, Jaume Bertranpetit.