Empreendedorismo nos negócios, como ganhar empreendendo num mercado concorrido

Resultado de imagem para assessoria financeira

O primeiro passo para sua ideia crescer e poder assim usufruir dela, é ter um bom foco em suas intensões. O planejamento é algo fundamental para que seu propósito passe por um caminho sustentável e assim você possa ter uma base ao que vem a seguir.

Grande maioria dos que estão no topo, um dia batalharam e insistiram muito em suas ideias, porque você não poderia também? O fato é que a oportunidade está presente, mas o que realmente importa é se irás insistir e correr atrás dela. Não se abalar por tropeços que vier a dar ao longo do caminho também ajuda a não desanimar a acabar arruinando seus planos, aliás, cair faz parte, e claro, sempre se deve manter o foco.

Vale ressaltar que se pode passar por mementos ruins em seus negócios, mas o importante é seguir em frente e principalmente saber lidar com o fato. Você pode sim vir a se tornar um empreendedor, aqui estão mais algumas dicas de como se tornar um em um mercado saturado.

A persistência e a calma devem ser mantidas e seguidas a risco, como deixa claro o empresário Vagner Lefort, da Long Jump, que em uma entrevista diz: “Nunca se deve tomar uma decisão nervoso. Tomar a decisão com o coração, com a emoção, não é bom. É preciso decidir com a razão”.

A empresa gaúcha TAG, em uma entrevista também da dicas para quem está começando ou pensando em começar um negócio: “De maneira geral, acreditamos que para empreender é necessário ter a consciência de que o trabalho é duríssimo. Não existe nada de glamour no dia-a-dia, como muita gente pensa. Tem que ter atitude e correr atrás das coisas, tem que criar tudo, botar a mão na massa. A execução é constante, e é fundamental que toda a equipe de um novo empreendimento tenha consciência e saiba lidar com isso.”

Com isso, precisa-se gostar do que faz, ter muito empenho, não pensar apenas no lucro que terá, e que gostar do que está fazendo.

 

Empreendedorismo online pode ser vantajoso

Ao iniciar uma atividade online o empreendedor pode contar com vantagens que facilitam o seu trabalho e o andamento do negócio. Quanto mais facilidades fizerem parte da rotina de trabalho mais chances existirão de ser bem-sucedido, no entanto, é essencial ter em mente que os desafios existem tanto em uma atividade online como offline.

O investimento inicial de um negócio online tem um custo reduzido, o que estimula potencialmente o empreendedorismo. Os custos para manter um estabelecimento comercial exigem um investimento relativamente maior, desse modo, abrir um negócio online pelas menores exigências econômicas se torna um atrativo. A escalabilidade torna-se mais ampla, o que gera mais chances de alcançar um público-alvo diversificado, podendo atingir regiões distantes dando vantagens para uma divulgação maior do que um negócio físico que é aberto em apenas um lugar, além disso, o gerenciamento de uma equipe é menos complexo.

A gerência de pessoas pode estar mais focada, uma vez que os colaboradores se encontram no mesmo local é mais fácil aproveitar o tempo de trabalho com tarefas que podem ser agregadas. Como o meio digital é dinâmico é necessário que a equipe seja ágil para responder às mudanças que podem acontecer.

A inovação em um negócio digital é a palavra chave para acompanhar as novas tendências que surgem no mercado. Será necessário ser rápido para absorver as novidades que aparecem nesse cenário e assim usá-las da melhor forma para trazer soluções eficientes e potencializar os resultados da empresa.

Fazer uma análise da descrição do produto é outro ponto que precisa ser levado em consideração. Quando um produto ou um serviço está sendo disponibilizado no mundo digital é necessário deixar claro para o consumidor quais as utilidades que ele tem. Quanto mais claras e transparentes estiverem as informações, mais certeza o cliente terá de que está adquirindo o que está procurando, evitando assim futuros transtornos. A descrição do produto será a apresentação que o cliente terá do que procura, por isso deve muito bem desenvolvida, afinal o cliente não pode tocar nem experimentar o que é oferecido através da internet, por isso, garantir um

Um cardápio variado de produtos e de serviços para quem vive em grandes cidades

Quando se fala de metrópoles ou de grandes cidades é comum a muitas pessoas associá-las a desafios e situações que geralmente acometem os grandes centros urbanos.

Dificuldades no trânsito, correria, vida noturna intensa são apenas algumas das imagens que costumam caracterizá-las.

Entretanto, mesmo tendo de lidar com situações muitas vezes adversas, as grandes cidades mantêm especificidades que faz com que pareçam ter uma maior oferta de serviços e também de oportunidades do que as pequenas cidades.

Pois, em geral, é nas localidades de maiores aglomerações populacionais que as coisas primeiramente acontecem, onde as novas tendências das diferentes áreas dos negócios e do empreendedorismo costumam ser lançadas.

Dessa maneira, é possível encontrar nesses centros urbanos uma enorme variedade de produtos e serviços sendo comercializados e procurados.

E não se sabe bem ao certo, se por falta de espaço, de tempo ou se por comodidade mesmo, são muitos os habitantes das grandes cidades que frequentemente recorrem a tais serviços.

Em metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, podemos encontrar tanto serviços de lavanderia tradicional- lava-passa e entrega domiciliar – como serviços de lavanderia mais modernos, como os serviços de lavagem self service.

Outro tipo de serviço, que já há alguns anos passou a ser oferecido em estabelecimentos dos grandes centros, foi o serviço de cochilos personalizados.

Também já se pode contar com estabelecimentos voltados ao atendimento de ciclistas urbanos e em alguns desses estabelecimentos, além dos serviços de estacionamento e concerto de bicicletas, também são oferecidos serviços de restaurantes e até de banho.

Fora esses, ainda existe uma enorme lista com variadas ofertas de serviços prontos para atender as demandas de diferentes tipos de consumidores.

No momento, o que está muito em uso são os serviços de compartilhamento ou coworking – através dos quais praticamente qualquer serviço ou produto pode ser compartilhado.

Há coworking para quem precisa de algum espaço de escritório, para quem pretende cozinhar e comercializar comidas e até de estúdio, para quem precisa criar.

Dá pra se ver através disso que com o passar dos tempos diversos serviços estão se inovando e se tornando cada vez mais dinâmicos.

 

Após ser demitido, gerente abre o seu próprio negócio com a rescisão

Resultado de imagem para Luís Belentani

Ter sido demitido foi o melhor que aconteceu na vida de Luís Belentani. O gerente comercial perdeu o emprego de uma grande empresa no ramo de saúde, mas com a rescisão e a venda de uma moto, ele abriu a “Tia Sô Minidelícias”, rede de salgados em São José do Rio Preto.

Coxinhas, quibes, bolinhos de queijo e churros, tudo em miniatura e com uma grande produção que já atingiu 500 mil unidades por dia. Segundo o empresário, a receita é de sua esposa e sócia, Solange Ferrari Belentani, 58. O filho do casal, Luís Matheus, 30, faz parte da diretoria e ajuda a expandir as lojas.

Em menos de dois anos após a demissão, Luís Belentani conseguiu transformar a empresa em franquia, tendo 41 lojas espalhadas entre São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. São 186 funcionários (sendo 150 em lojas franqueadas) e com faturamento de R$ 3,5 milhões só no ano passado.

Preços variam entre R$ 3 a R$ 42

Tem para todos os gostos: coxinha de carne, frango, calabresa, legumes (feito com massa integral), pizza e palmito. O minichurro é recheado de morango, chocolate, goiabada, doce de leite, abóbora com coco e maracujá.

Um copo de 15 unidades custa entre R$ 3 a R$ 3,50, 40 unidades entre R$ 7 a R$ 8, e caixas com 90 e 300 unidades custam a partir de R$ 14 e R$ 42, respectivamente.

Quanto custa para abrir uma franquia?

Uma franquia pode ser pequena, mas para abrir uma rede como a do empresário Luís Belentani, vale a pena conferir os dados fornecidos pela sua empresa:

  • Investimento inicial: a partir de R$ 60 mil, o que inclui capital de giro, custo de instalação e taxa de franquia;
  • Faturamento médio mensal: a partir de R$ 20 mil;
  • Lucro médio mensal: a partir de R$ 5.000, que equivale a 25% do faturamento;
  • Retorno do investimento: em até 1 ano.

É possível começar um negócio com pouco dinheiro?

O universo do empreendedorismo está lotado de ideias inovadoras, o grande desafio é conseguir tirá-las do imaginário e colocá-las em prática. O maior impedimento para realizá-las é a falta de dinheiro e embora não seja impossível abrir um negócio com pouquíssimo dinheiro, é muito difícil.

De acordo com especialistas da área, é possível abrir um negócio com uma quantia reduzida, mas as opções acabam sendo restritas. Mas empreendimentos que tendem a ser mais difíceis de entrar acabam tendo uma possibilidade maior de crescimento, já quando é muito “fácil” entrar no mercado, existem mais concorrentes.

Uma quantidade limitada de recursos financeiros pode ser uma boa oportunidade, para surgirem ideias inovadoras e criativas, mas mesmo assim é necessário seguir alguns passos para começar um negócio do zero com pouco dinheiro.

Uma das primeiras ações a se tomar é a preparação para empreender, antes de embarcar em uma ideia e se jogar de cabeça é necessário verificar se terá condições de se manter financeiramente antes que o negócio dê o retorno do investimento inicial e comece a gerar lucro. Além disso é necessário realizar um estudo detalhado sobre a área, seus concorrentes e seus déficits, pois para se destacar é necessário ter um diferencial.

Uma das grandes sacadas para não perder dinheiro e ainda economizar é tentar vende-la para alguém e atrair investidores que tenham a quantia necessária, por isso a necessidade de ser uma ideia com diferencial e um potencial lucrativo.

Caso tenha dificuldade em encontrar um capital, é possível que o negócio não seja exatamente o que você idealizou e é bom repensá-lo. É necessário salientar que para que o empreendedor não vire um empregado do investidor existam regras claras quanta a participação nos lucros e na empresa ao selar o acordo.

É essencial ter uma boa rede de contatos e utiliza-la quando necessário, já que eles poderão auxiliar a encontrar parceiros, novas oportunidades, além de promover o negócio/produto utilizando o boca-a-boca e indicações, construindo uma boa reputação, essencial para atrair novos clientes.

Saber aproveitar as oportunidades e adaptar o negócio a diversas situações é necessário um empreendimento bem sucedido. E por fim é necessário ter um plano de ação, definir metas, procurar aprender cada vez mais e elaborar um plano financeiro, além de um estudo de mercado.

Como já foi dito antes, não é impossível iniciar um empreendimento com nenhum dinheiro ou com um baixo orçamento, mas é necessária uma boa ideia e um estudo de mercado, para estudar o ramo escolhido e visualizar as carências, para assim criar um bom negócio e assim fazer sucesso com investidores e com o público.

Amigas e negócios: uma mistura pode dar certo

Resultado de imagem para Amigas e negócios

Com o desemprego mantendo-se em altas taxas, o trabalho informal tende a crescer no Brasil. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), o trabalho informal já ultrapassa a casa dos 10 milhões de pessoas na modalidade.

Outra consequência dos altos índices de desemprego é o aumento no número de empreendedores, mas formalizados. O número de Micro Empreendedores Individuais (MEI) no Brasil cresceu em 2016, 9,7% em relação ao ano passado, de acordo com a Boa Vista SCPC, empresa especializada em informações de crédito.

Sendo assim, vão se delineando novos perfis de trabalho, sempre orientados pela livre iniciativa. É o que constatou estudo feita pelo Harvard Business Review, que apontou que trabalhar com amigos pode aumentar a produtividade. Embora conhecer melhor o colega de trabalho ajude a estreitar laços de confiança, por outro pode gerar distrações, já que é mais provável que os momentos de socialização se prolonguem além do que deveriam.

Para profissionais de coaching, uma parceria de trabalho entre amigos deve ser criteriosa, e separar muito bem o que é pessoal do que vem a ser trabalho. Misturar as coisas pode ser perigoso e comprometer o bom andamento dos negócios.

Quando a coisa caminha, o sucesso não demora a aparecer, como é o caso do Canal Depois das 11, no Youtube. A parceria entre as amigas Thalita Meneghim e a Gabie Fernandes fez com que o canal batesse a marca de 2.263.211 assinantes.

A iniciativa é um ótimo exemplo de que, quando há entrosamento e as funções são bem definidas, as coisas caminham melhor do que o planejado. Para os vídeos que vão ao ar, Gabie é a responsável pelos roteiros e Thalita pela edição.

Tudo deu tão certo que hoje as youtubers já estão até em turnê pelo Brasil, com a peça teatral Tudo Bacana, que está com ingressos esgotados em 18 cidades brasileiras.

Claro que diante de tal crescimento, aumentam as responsabilidades. A própria Thalita diz que, agora, tudo toma proporções maiores e elas estão cada vez mais cientes de que, mais do que estrelas, elas precisam ser chefes de um empreendimento de sucesso, o que implica tomar decisões nem sempre fáceis.