Microsoft aposta na Inteligência Artificial

Notícias sobre a Microsoft: a empresa está investindo forte em Inteligência Artificial (IA) em múltiplas frentes. Segurança e Games são duas das recentes apostas da companhia, que busca estender as aplicações da IA em suas plataformas. Leia mais e entenda.

Proteção

O lançamento do Windows 10 exigiu uma postura mais relevante da Microsoft, a qual desenvolveu ferramentas no Windows Defender no intuito de proteger o sistema de maneira mais intensa. Apesar do bom funcionamento a empresa está criando uma solução baseada na IA capaz de deletar ataques de sistemas nocivos.

A preocupação da segurança dos dados e do Windows se mostrou cada vez mais constantes, que quer mostrar que seu sistema operacional é imune a ameaças. A intenção é que a inteligência artificial possa obstruir os ataques de malwares antes que eles afetem as funções ou roubem os dados dos usuários.

A Microsoft chegou a lançar um concurso na plataforma Kaggle, em que procuram ideias e protótipos baseados na IA capazes de detectar e deletar ameaças. O prêmio é de US$ 25 mil para quem desenvolver a melhor solução, contudo esse valor pode aumentar até o fim do desafio que termina em 13 de março de 2019.

Games

A Inteligência Artificial também estará presente no Project Cloud X, futura plataforma de streaming de jogos da Microsoft. De acordo com o portal alemão de tecnologia Windows United, a companhia adquiriu a patente para que sistemas inteligentes possam prever o próximo título que os usuários teriam interesse em jogar.

A IA será empregada em diversas situações. Por exemplo, se o usuário acessou a plataforma a partir do computador, jogou e encerrou a partida, quando ele ligar outro dispositivo conectado como o Xbox, a partida começará do mesmo ponto que foi encerrada. A solução de integração seria armazenada na nuvem, facilitando a navegação.

Em Outubro, a empresa anunciou em seu blog que estava desenvolvendo sua própria plataforma de streaming de jogos, a qual permitira o acesso aos jogos pelo PC, smarphone, console e tablet. Segundo ela, a intenção é dar liberdade para o usuário não precisar ficar preso a um só aparelho. Ainda não há previsão para o lançamento do serviço.

5G vai sair, mas precisa de harmonia internacional para gerar impulso bilionário

Alguns anos atrás, falávamos do 3G como uma novidade. Hoje, o 4G já tornou-se mesmo normal, podemos assim dizer. De modo que, consequentemente, não haveria uma novidade nesse sentido, dentre as notícias dos tempos atuais. Todavia, há, sim, e ela se chama 5G! Ainda que não tanto falada, por enquanto, essa tecnologia já é uma realidade de fato.

Trata-se, a saber, e como a própria sigla já evidencia, da 5ª geração de internet móvel, como uma tecnologia que, desta vez, dá-se por meio do espectro de ondas ultra-curtas. E é quanto a esse espectro que trazemos a notícia da vez, uma estimativa recentemente divulgada pela indústria de telecomunicações: ele pode levar a um ganho, por parte produção econômica global, e no período dos 15 anos seguintes, que será superior à faixa dos 500 bilhões de dólares. Esse cálculo, todavia, vai depender de ser usada essa tal tecnologia para conectar tanto robôs quanto aplicações de outros tipos.

Não obstante, será necessário, antes de tudo, que os governos do mundo tomem a iniciativa de optar pela harmonização dos padrões para a concessão que envolve esse espectro de ondas milimétricas. Valendo pontuar ainda, sobre ele, que garante o transporte dos enormes fluxos de dados que são indispensáveis para que esses serviços citados mantenham-se na ativa. Essa afirmação anterior é encontrada num relatório divulgado em dezembro de 2018, pela associação da indústria GSMA.

Como visto, trata-se de uma situação que dependerá da boa vontade de cada um dos governos do mundo. Nesse caso, alguns passaram na frente e outros ainda nem se posicionaram. Entre os primeiros, podemos destacar não apenas a Coreia do Sul, mas também os Estados Unidos, posto que ambos buscaram, antecipadamente, conceder, aos operadores de telecomunicações dos seus respectivos países, esse espectro de ondas milimétricas. E, com essa colocação, devemos entender que esses dois países criaram, portanto, campos de testes para que os usos práticos voltados a essa tecnologia pudessem ser devidamente desenvolvidos.

No caso dos segundos, ou seja, daqueles países que não tomaram uma posição antecipada, uma esperança, para que eles a tomem, é a realização do encontro, no Egito, e durante 2019, de nome ‘WRC’, como é conhecida, internacionalmente, a Conferência Mundial de Radiocomunicações. Ao menos, foi essa a opinião expressa por Brett Tarnutzer, dita por ele enquanto representante da GSMA, chamando ainda, esse órgão das Nações Unidas, de “crucial” pra o objetivo já citado.

Tipos de Marketing

Saiba o que é marketing e como ele é usado: Uma maneira de determinar o preço é ajustá-lo a um nível comparável ao dos concorrentes, desde que a empresa possa recuperar todas as despesas associadas ao produto e ainda assim obter lucros. Se a empresa está introduzindo um produto que nunca existiu, eles devem determinar quanto o consumidor está disposto a pagar por isso.

O preço também é testado por meio de grupos de foco e pesquisas. As empresas devem conhecer o preço ideal para vender seus produtos para obter o máximo retorno.

A promoção diz respeito às informações que as empresas fornecem aos consumidores por meio de campanhas direcionadas para gerar interesse em seus produtos. As campanhas podem incluir diferentes formas de mídia, eventos e muito mais. As promoções geralmente têm duas finalidades: gerar leads para representantes de vendas ou iniciar compras reais.

“Lugar” no The Four P’s refere-se a como e onde os produtos são vendidos. Empresas de produtos de consumo, por exemplo, vendem para atacadistas que, por sua vez, vendem para varejistas. No mercado industrial, o processo de compra é mais longo e envolve mais tomadores de decisão. Algumas empresas também vendem produtos ou serviços em nível local, enquanto outras vendem nacionalmente e até internacionalmente. Algumas empresas vendem apenas seus produtos ou serviços online. Todas as decisões de distribuição fazem parte do processo geral.

Tipos: As campanhas de impressão, rádio e televisão são tipos, assim como mala direta, e-mail e marketing na internet. As empresas que vendem pela internet otimizam suas páginas da web, de modo que aparecem mais alto nos mecanismos de busca, como o Google e o Yahoo. Boletins informativos, press releases e artigos também são formas de marketing usadas para gerar leads e pedidos. Algumas empresas também usam o marketing de referência para aumentar os negócios, onde clientes satisfeitos encaminham outras pessoas para um determinado negócio.

Mais recentemente, o marketing de mídia social está se tornando algo que as empresas inteligentes não podem evitar quando se trata de alcançar compradores em potencial, seja no Facebook ou no Instagram, ou postando conselhos no Twitter com links para um site.

O que é o empreendedorismo social?

Quer entender melhor o contexto da economia que possibilitou conceitos como o de inovação e empreendedorismo social?

Paradigmas existem para serem quebrados e a sociedade atual encara essa realidade diariamente: a forma como nos relacionamos uns com os outros, como pesquisamos e compramos produtos, como encaramos e lidamos com a política. Esses são só alguns exemplos de paradigmas que sofreram disrupções recentes, a partir da tecnologia, da inovação e da mudança dos tempos. Nesse cenário, pensando na economia e nos negócios, é que surgem novos termos e propostas, como o empreendedorismo social e a inovação social.

Quer entender melhor o contexto da economia que possibilitou conceitos como o de inovação e empreendedorismo social? Então este artigo é para você. A seguir, desvende o significado dos dois termos, conheça cases de empreendedorismo social e veja como a inovação acontece!

Um empreendedor social é aquele que apresenta e desenvolve soluções inovadoras para atender aos problemas sociais. São profissionais ambiciosos e persistentes, que se preocupam com as grandes questões sociais e estão em busca de ideias que tragam mudanças em grande escala.

Ser um empreendedor social significa visar a maximização do capital social a fim de realizar mais iniciativas, programas e ações para que uma comunidade, cidade ou região possa se desenvolver de maneira positiva e sustentável. O empreendedorismo social surge em contextos turbulentos, de crise e desafios econômicos, sociais e ambientais.

Empreendedorismo social é um conjunto de ações empreendedoras que buscam a melhoria da sociedade. Para isso, os empreendedores criam medidas que podem, ao mesmo tempo, ser lucrativas e sociais.

Trata-se de um tipo de empreendedorismo que busca implantar medidas sustentáveis para conciliar os avanços tecnológicos e outros progressos sociais com um meio ambiente mais saudável e boas condições de vida para todos.

Uma das metas do empreendedorismo social é reduzir as desigualdades sociais e econômicas por meio da criação de negócios que gerem não apenas dinheiro, mas tragam melhorias em todos os setores existentes em uma sociedade. Esta forma de empreender busca uma forma de vida mais justa, em que o meio ambiente é preservado e as diferenças sociais são reduzidas de forma que todos tenham oportunidades iguais.

Empreendedorismo

O empreendedorismo tem o poder de mudar fundamentalmente a maneira como vivemos e trabalhamos. Os negócios e produtos que eles constroem podem criar riqueza e fomentar a inovação. Estas são apenas algumas das razões pelas quais os empresários são importantes para a nossa economia.

Os empresários criam novos negócios e isso, por sua vez, cria novos empregos . Isso faz parte de um ciclo em que cada um alimenta e suporta o outro à medida que o negócio cresce e se expande. Quanto mais bem-sucedido for um empreendimento comercial, mais indivíduos poderão empregar. Isso permite a criação de postos de trabalho e posições com salários mais altos. À medida que novos trabalhadores migram para a área, mais dinheiro inunda a comunidade e isso enriquece o estado. Esse afluxo de moradores empurra mais dinheiro dos impostos para o condado e o estado, levando a uma melhor infraestrutura para acomodar o fluxo de novos trabalhadores e suas famílias.

Os empresários contribuem para a renda nacional gerando novas riquezas. Muitas empresas existentes acabam atingindo um teto de riqueza, e isso mantém o status quo. Produtos e conceitos novos e aprimorados permitem que novos mercados sejam desenvolvidos ou que os mercados existentes se expandam. Alguns dos setores em expansão para os aspirantes a empreendedores incluem desenvolvimento de aplicativos, análise forense digital e assistência médica móvel.

Por exemplo, smartphones e aplicativos revolucionaram a forma como trabalhamos e nos conectamos. A capacidade de comunicar, compartilhar e aprender na internet em movimento é um tremendo benefício. Os smartphones estão se tornando cada vez mais populares na China e na Índia , unindo-se aos Estados Unidos como os três maiores impulsionadores da saturação e do crescimento dos smartphones. Essa globalização da tecnologia significa que os empreendedores em muitos países têm acesso às mesmas ferramentas e informações que suas contrapartes em outros lugares.

Empreendedores também estão frequentemente na vanguarda da mudança social. Eles se afastam da tradição reduzindo a dependência de sistemas e tecnologias obsoletos. Isso cria uma liberdade econômica que gera uma maior qualidade de vida. Outro aspecto célebre é que o empreendedorismo permite que os futuros empresários abandonem as normas culturais e sociais. Isso transita para o reino dos negócios tradicionais.

O que é projeto social

O empreendedorismo social é definido como o impulso para uma transformação social positiva e soluções sociais inovadoras. É mais comumente praticado nas áreas de saúde, educação, meio ambiente e desenvolvimento de pequenas empresas. Os empreendedores sociais usam metas e métodos padrão de negócios para construir organizações fortes e sustentáveis que inovam e superam vários problemas sociais.

O empreendedorismo social é sobre a criação e aplicação de sistemas e abordagens práticas que beneficiem a sociedade em grupos gerais ou específicos, como as minorias pobres ou marginalizadas marginalizadas. Empreendedores sociais são muito diferentes do resto da multidão de negócios, porque geralmente são pessoas bem-intencionadas que se dedicam a lutar pela justiça e melhoria social. É um termo que engloba abordagens únicas para problemas sociais e econômicos historicamente desafiadores.

Essas notícias e abordagens interdisciplinares geralmente atravessam setores para alcançar o sucesso, mas também se baseiam em certos valores e processos que são adotados pela maioria dos empreendedores sociais. Estas incluem as áreas de saúde, educação, agricultura, meio ambiente, reforma previdenciária, direitos humanos, desenvolvimento econômico e direitos dos trabalhadores. O empreendedorismo social tem como foco a criação de recursos locais através do empoderamento das populações locais para mobilizar seus próprios recursos humanos, financeiros e políticos.

Objetivos comuns

O objetivo mais ambicioso do movimento de empreendedorismo baseado na comunidade é alcançar uma mudança social sistêmica e sustentável por meio da aplicação rigorosa de tecnologias conhecidas e estratégias de negócios. Em primeiro lugar, os empreendedores sociais concentram-se na criação de valor social e ecológico antes de se concentrarem na maximização da criação de valor financeiro.

Os empreendedores sociais se esforçam para inovar em novos produtos, serviços ou abordagens que resolvam problemas sociais enquanto geram receita.

Um bom exemplo disso são os programas de microcrédito em países em desenvolvimento para pessoas carentes com idéias de negócios sólidas. Os empreendedores sociais refinam e adaptam continuamente suas abordagens em resposta ao feedback, a fim de permanecerem atuais e receptivas às mudanças sociais. Alguns empreendedores sociais se concentram principalmente em aumentar a conscientização sobre certos problemas globais, como desmatamento ou desertificação. Os empreendedores sociais são intensamente focados e árduos na busca de uma visão social melhor.

Os empreendedores sociais são muito ambiciosos porque enfrentam as principais questões sociais que atribuíam às agências do governo que se esforçavam para lidar.

O que a revolução do empreendedorismo social precisa agora

Para muitos empreendedores sociais, o vale da morte – a lacuna entre o financiamento em estágio inicial e o capital comercial – é real. Mas suas idéias e modelos de negócios, se apoiados por uma infra-estrutura crescente, podem desempenhar um papel crítico ao transformar a lista de desafios nos objetivos de desenvolvimento sustentável em oportunidades de mercado que beneficiam a sociedade.

Há um número crescente de atores engajados no empreendedorismo social – existem os próprios empreendedores, é claro, mas os doadores, investidores, intermediários, governos e corporações multinacionais têm um papel a desempenhar.

E apesar dos desafios e das lacunas de infraestrutura, o consenso entre os proponentes parece ser que este é um momento emocionante para o campo. O tropo comum é que o empreendedorismo social e o investimento de impacto que apoiarão seu crescimento ainda são “nascentes” ou “iniciais”. E isso é verdade – cinco ou dez anos atrás, o diálogo era muito diferente.

“O trabalho de enfrentar os desafios sociais”, de acordo com Jean Case, co-fundador e CEO da Case Foundation e um evangelista de empreendedorismo auto-identificado, “caiu em grande parte para o setor público”.

As pessoas geralmente viram as organizações não-governamentais e os filantropos como atores-chave ao lado do governo, explicou Case, mas é necessário que surjam mais soluções dos países em desenvolvimento – dos empreendedores que testemunham os desafios sociais.

“Sinceramente, o assento que não tem um remo para remar enquanto tentamos chegar à linha de chegada é o espírito empreendedor. Os empreendedores entrando e trazendo suas brilhantes ideias inovadoras sobre como resolvemos problemas”, disse Case. “Isso pode realmente ser transformacional e eu já vi isso acontecer… muita mudança foi levada para fora das salas de conferência com luzes fluorescentes, e não nas linhas de frente do problema, então acredito que está mudando”.

Há um número crescente de empreendedores espalhados por países em desenvolvimento que estão experimentando e inovando com novos produtos, serviços e sistemas que podem enfrentar o agronegócio, o acesso à energia, assistência médica, educação e muito mais. Incubadoras e aceleradoras parecem estar surgindo à esquerda e à direita, as agências doadoras estão explorando como podem apoiar empreendedores e fortalecer o ecossistema, alguns governos criaram uma legislação favorável aos negócios para incentivar o empreendedorismo, e o pequeno grupo de intermediários está crescendo, maior necessidade de vincular e apoiar empresas promissoras com capital.

Fundação Getúlio Vargas anuncia recuo da inflação em relação a algumas despesas

A FGV (Fundação Getúlio Vargas) informou por meio de uma publicação que a inflação percebida pelo consumidor sofreu diminuição em novembro de 2018. Os dados apontados foram divulgados no final da primeira quinzena do mês. Vale salientar que a instituição toma por base o IGP-10 (Índice Geral de Preços – 10), um instrumento de mensuração de alguns dados econômicos inflacionários.

Outro mecanismo empregado pela FGV como maneira de se medir as oscilações da inflação no país, o IPC-10 (Índice de Preços ao Consumidor – 10), apresentou discreta elevação, terminando o período avaliado com aumento de 0,29%. Os resultados do mês de outubro, entretanto, foram maiores, já que este foi de 0,52%.

Dentre os tipos de despesas que apresentaram recuo de caráter inflacionário, quatro delas se destacam: transporte, que havia sofrido elevação de 1,43% e passou para 0,33%; a gasolina, que se elevou em 0,44%, valor significativamente inferior ao mês anterior, quando se registrou alta de 4,68%. Além disso, as categorias que compreende os gastos com habitação e educação ficaram respectivamente com 0,37% e 0,33% na avaliação.

Estima-se que as baixas em alguns aspectos da inflação sejam desdobramentos de fatos ocorridos na economia, tais como diminuição da taxa de eletricidade de natureza residencial e baixas com gastos envolvendo lazer, por exemplo.

Em contrapartida, algumas despesas respondem por aumentos na inflação. A alimentação, que é um grupo de gastos indispensáveis, costuma sofrer elevações de acordo com as oscilações da economia, bem como em razão de fatores climáticos. No período considerado, contudo, foi justamente um dos gastos que mais contribuíram para o aumento inflacionário, passando de 0,47% para 0,83%.

Os cuidados pessoais e a saúde foram agrupados em mesmo grupo. Neste caso, estes gastos também fizeram com que a inflação se elevasse, ou seja, se no período anterior os índices inflacionários eram de 0,40%, estes passaram para os atuais 0,45%.

O setor de vestuário foi um dos que mais sentiram a alta da inflação no período adotado para estudos. Segundo os dados levantados pela FGV, a inflação decorrente de gastos com peças desse tipo foram de 0,22% em outubro para 0,50% em novembro.

 

Saiba mais:

https://www.istoedinheiro.com.br/energia-e-gasolina-arrefecem-inflacao-ao-consumidor-no-igp-10-diz-fgv/

Experiência médica avança na luta pela cura de alergias ao amendoim

A exposição a traços de amendoim em biscoitos, bolos ou outros alimentos de contaminação cruzada pode terminar com uma reação alérgica severa e até hospitalização.

No entanto, há boas notícias para quem é alérgico a esse alimento.

Os resultados de um novo estudo podem levar à aprovação de um novo tratamento que reduz o risco desses tipos de reações potencialmente fatais, proporcionando alívio não apenas para as crianças, mas também para seus pais.

O tratamento não é uma cura para a alergia ao amendoim. Também não é projetado para permitir que as crianças comam sanduíches inteiros de manteiga de amendoim e geleia. Em vez disso, o objetivo é permitir que elas tolerem pequenas quantidades do alimento.

“Ser capaz de comer com segurança um ou dois amendoins é uma grande melhoria em termos de qualidade de vida das crianças – como quando elas vão à casa de um amigo durante a noite e estão evitando amendoins, mas ainda podem acidentalmente ingerir uma pequena quantidade”, disse o Dr. Stephen Tilles, um dos co-autores do estudo e ex-presidente da Universidade Americana de Alergia, Asma e Imunologia.

Para muitas crianças com alergia ao amendoim, isso é proteção suficiente.

“Algumas crianças nem querem comer comida com amendoim. Elas só querem ser protegidas caso sejam expostas acidentalmente ao alimento”, disse a Dra. Tina Sindher, professora assistente clínica do Centro Sean N. Parker para Pesquisa em Alergia e Asma da Universidade de Stanford, que não esteve envolvida no estudo.

Os resultados da pesquisa foram apresentados no dia 18 de novembro na Universidade Americana de Alergia, Asma e Imunologia em Seattle e publicados no dia seguinte no New England Journal of Medicine.

No estudo, 372 crianças com uma alergia a amendoim já diagnosticada consumiram uma quantidade crescente de proteína de amendoim todos os dias, começando com quantidades mínimas. Isto foi seguido por seis meses em uma “dose de manutenção”, o equivalente a um amendoim por dia.

Este tipo de tratamento é conhecido como imunoterapia oral e é projetado para construir a tolerância do sistema imunológico a um alérgeno.

Depois de um ano, mais de dois terços dessas crianças de 4 a 17 anos foram capazes de consumir 600 miligramas de proteína de amendoim – o equivalente a dois amendoins – durante um desafio alimentar “com apenas sintomas leves”.

Em contraste, apenas 4% das 124 crianças que estavam tomando um pó não-amendoim durante todo o estudo – o grupo placebo – foram capazes de tolerar a mesma quantidade de proteína de amendoim.

Metade das crianças no grupo de tratamento também foram capazes de consumir com segurança 1.000 miligramas de proteína de amendoim durante o desafio alimentar.

O que é empreendedorismo social?

Um equívoco comum é que qualquer empresário, ou qualquer pessoa que inicie um negócio, é um empreendedor. Mas começar um negócio, segundo os economistas Say e Schumpeter, não é o principal componente do empreendedorismo. Em vez disso, o empreendedorismo está preocupado em estimular o progresso econômico por meio de inovação e ação. No início do século XIX, o economista francês Jean Baptiste Say descreveu os empreendedores como “os indivíduos aventureiros que estimularam o progresso econômico encontrando maneiras novas e melhores de fazer as coisas”. Em outras palavras, os empreendedores otimizam a alocação e o uso de recursos para gerar lucros máximos.

Para atingir seus objetivos econômicos, a mentalidade do empreendedor deve ser inovadora, criativa e orientada para objetivos. Nas palavras do economista do século XX Joseph Schumpeter.

“A função dos empreendedores é reformar ou revolucionar o padrão de produção… explorando uma invenção ou, mais genericamente, uma possibilidade tecnológica inexperiente para produzir uma nova mercadoria ou produzir uma antiga de uma nova maneira, abrindo uma nova fonte de fornecimento de materiais ou um novo ponto de venda de produtos, reorganizando uma indústria e assim por diante.”

Além disso, o empreendedor prospera em problemas e é motivado pela ideia de alterar uma situação desagradável. Em vez de esperar por instruções, o empreendedor inicia uma ação direta. Se o empreendedor enxergar um método mais eficaz de fazer as coisas, ele não hesitará em eliminar os sistemas existentes em favor de uma abordagem totalmente nova para um problema. O empreendedor tem a coragem de assumir riscos calculados, às vezes até fazendo “coisas que os outros pensam que são imprudentes, ou até mesmo desobedientes”. O empreendedor também leva os projetos até a conclusão e é desinibido por contratempos ou desafios ocasionais.

O empreendedor social aproveita as habilidades de empreendedorismo para fazer um bem social. De acordo com J. Gregory Dees, o empreendedorismo social “combina a paixão de uma missão social com uma imagem de disciplina, inovação e determinação de negócios comumente associada, por exemplo, aos pioneiros do Vale do Silício de alta tecnologia.” As energias filantrópicas do empreendedor social são canalizadas para empreendimentos comerciais, criando valor nos negócios para que os consumidores estejam dispostos a pagar pelos bens e serviços e, ao fazê-lo, o empreendedor social ganha um lucro que é investido nos empreendimentos sociais.